sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Landing, férias, Montreal, Toronto e muito mais!

Oi amigos,

Depois de um longo hiato, voltamos com força total e cheio de novidades para dividir com vocês... Temos muito o que contar sobre o landing, a viagem, as férias, etc, etc...

Como são muitas informações, vamos dividir os assuntos por posts, ok?

Vamos começar pelo principal, que eu acho que é o que mais interessa aos leitores do blog: o tão sonhado e temido landing. Digo temido porque eu estava uma pilha de nervos, milhões de “E ses???...” E se faltar algum documento pro landing? E se o oficial disser que algum documento está errado? E se ele achar que o dinheiro que estamos levando não é suficiente? E se ele não gostar da idéia de irmos lá só fazer o landing e voltarmos pro Brasil? E se ele simplesmente não for com a nossa cara e nos mandar de volta no primeiro avião? Rs

Eu sei que é muita preocupação pra uma pessoa só, mas o landing teoricamente é o momento em que nada pode dar errado né...

Nosso vôo foi Rio x Panamá x Montreal. Optamos por dar a entrada por MTL pois nosso processo foi por Québec, e MTL nossa cidade de escolha nos formulários.

Aterrissamos em MTL por volta de 1:00 da manhã, entramos na fila de Estrangeiros na alfândega e explicamos para o oficial que estávamos ali para fazer o landing. Ele olhou nossos passaportes, e nos direcionou para o local.

Detalhe importante que eu não sabia: Nós pegamos toda a bagagem ANTES de irmos para a sala na qual o oficial checa toda a documentação e dá os papéis da residência permanente. Eu achava que pegaríamos nossas malas DEPOIS de todos os procedimentos, e aí já estava imaginando nossas malas rolando hoooooras na esteira do aeroporto, sem ninguém pra resgatá-las.

O landing em si foi rápido e simples. O oficial pediu nossos passaportes, a confirmação de residência permanente, quantos estávamos levando de dinheiro e o endereço que ficaríamos em Montreal. Demos o endereço de uma amiga, e explicamos que só ficaríamos lá por 15 dias, e depois voltaríamos ao Brasil para resolver algumas coisas, e que aquela não era nossa ida definitiva. 

O oficial então nos explicou que não poderia enviar o PR Card para alguém que não fosse da família, mas que assim que tivéssemos um endereço fixo (e nosso) era só ligar para o número que ele forneceu que os cartões seriam emitidos.

Ele nos entregou também o comprovante do landing (não lembro agora o nome do documento), que é nosso comprovante de residência permanente enquanto não recebemos o PR Card.

Ele nos entregou mais alguns folhetos, deu o “Welcome to Canada”, e ufa!!!, eu só pensava no Galvão gritando “É teeeeeetra, é teeeeeetraaaaaaa!!!”.

2 comentários:

  1. Legal! Conte mais como foi sua experiência. Estamos querendo ir pra lá no ano que vêm. Se puder entrar em contato!

    Olá Canadá!

    Abraços,
    Dan & Jo

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, Lois e Brian. Estamos em uma situação bem parecida com a que vocês estiveram quando fizeram o landing. Já temos nosso visto que vence em 23/03/2017. Queremos ir agora em setembro/outubro fazer o landing, passar uma ou duas semanas em Montréal providenciando o que for possível. E depois ir em definitivo em maio do ano que vem. Quais os cuidados que devemos ter com essa estratégia? Adoraríamos poder entrar em contato com vocês para conversarmos a respeito, meu e-mail é jrostirolla@gmail.com. Pesquisamos muito, mas ainda nos restam algumas dúvidas. Obrigado e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir